Prefeitura de Manaus lança terceira edição do Boletim Epidemiológico de Arboviroses

Na segunda-feira, 22/1, a Prefeitura de Manaus revelou os dados mais recentes de casos de dengue, zika, chikungunya, oropouche e mayaro na cidade, através do mais recente Boletim Epidemiológico de Arboviroses da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

A terceira edição da publicação, que traz dados da Semana Epidemiológica que ocorreu de 14 a 20/1, relata que Manaus teve 574 casos suspeitos de dengue, sendo que 82 foram confirmados. Outros 1.440 casos suspeitos estão sob investigação. Quatro casos de zika foram notificados, com outros 11 ainda em análise. Quatro casos de chikungunya foram notificados, com 17 sendo analisados. No entanto, não houve nenhum caso confirmado de zika ou chikungunya entre 14 e 20/1.

O boletim também contabilizou 46 casos novos de oropouche e nenhum de mayaro. Como essas não são doenças de notificação obrigatória, não existem registros de casos notificados.

De acordo com o relatório, em 2024, 524 casos de dengue, um de zika e 372 de oropouche foram confirmados. No entanto, não foram confirmados casos de chikungunya ou mayaro neste ano.

O Boletim Epidemiológico de Arboviroses é resultado do trabalho das gerências de Vigilância Epidemiológica, Vigilância Ambiental e Controle de Agravos por Vetores, e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde da Semsa Manaus. O boletim é elaborado a partir dos dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), através do Sinan-Online e Sinan Net, e do Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), e está sujeito a atualizações.

A Semsa Manaus aconselha a população a realizar inspeções semanais nas suas propriedades e casas, para identificar e eliminar possíveis criadouros de mosquitos Aedes aegypti e outros vetores de arboviroses.

Medidas simples podem ser tomadas, como o descarte adequado de materiais que acumulam água, a limpeza de calhas e ralos, preenchimento de pratos de plantas com areia, manutenção de tampas em caixas d’água e uso regular de vasos sanitários pouco utilizados.

Djalma Coelho, subsecretário municipal de Gestão da Saúde, ressalta que combater os mosquitos é uma das principais formas de prevenir as arboviroses. “Se todos eliminarem os criadouros, os mosquitos não vão se reproduzir e a população estará protegida”, enfatiza.

Djalma reforça que a Semsa Manaus vem intensificando os esforços de prevenção e controle, especialmente durante a estação das chuvas, que contribui para a formação de criadouros e a proliferação do Aedes e outros vetores. As áreas mais vulneráveis para estas doenças estão recebendo atenção especial, conforme as informações do Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado em Manaus de 6 a 22 de novembro, e das notificações de casos de dengue, chikungunya e zika.

Segundo o levantamento, Manaus possui nove bairros considerados de alta vulnerabilidade, enquanto 35 são considerados de vulnerabilidade média e 19 de baixa.

Texto – Jony Clay Borges / Semsa

Fotos – Divulgação / Semsa

Fonte: https://www.manaus.am.gov.br/noticias/saude/prefeitura-de-manaus-divulga-edicao-no-3-do-boletim-epidemiologico-de-arboviroses/