Justiça do Amazonas condena indivíduo conhecido como ‘Lucas Picolé’ por tráfico de drogas, enquanto absolve ‘Mano Queixo’ da mesma acusação.

“Lucas Picolé” condenado por tráfico de drogas, enquanto “Mano Queixo” é absolvido pela Justiça do Amazonas

O influenciador João Lucas da Silva Alves, também conhecido como “Lucas Picolé”, foi condenado a três anos e quatro meses de prisão por tráfico de drogas pela Justiça do Amazonas. Por outro lado, Enzo Felipe da Silva Oliveira, o “Mano Queixo”, que havia sido preso junto com ele, foi absolvido do crime. Ambos são suspeitos de envolvimento em uma fraude com venda de rifas em Manaus e conquistaram o direito à liberdade nesta terça-feira (19).

“Lucas Picolé” e “Mano Queixo” foram indiciados pela Polícia Civil do Amazonas por diversos crimes, incluindo tráfico de drogas, associação para o tráfico, posse irregular de munição de uso restrito e adulteração de veículo automotor, entre outros.

Os dois foram liberados do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) às 17h30, conforme a defesa informou. Uma coletiva de imprensa está marcada para esta quarta-feira (20), na qual será abordada a soltura dos influenciadores.

A sentença que condenou “Lucas Picolé” foi emitida pelo juiz de Direito Jean Carlos Pimentel dos Santos na segunda-feira (18). O magistrado estabeleceu a pena de três anos e quatro meses de reclusão e 333 dias-multa, equivalentes a 30% do salário mínimo para cada dia-multa.

Inicialmente, a pena será cumprida por “Lucas Picolé” em regime aberto, de acordo com a decisão da Justiça do Amazonas. Por outro lado, “Mano Queixo” foi absolvido e está livre do crime pelo qual havia sido preso.

Operação Dracma desvenda fraude com vendas de rifas em Manaus

Em agosto deste ano, a Polícia Civil do Amazonas concluiu o Inquérito Policial que investigava a venda ilegal de rifas e indiciou oito pessoas por diferentes crimes. Essa investigação resultou na Operação Dracma, realizada em duas fases nos dias 29 de junho e 5 de julho.

Segundo o delegado Cícero Túlio, responsável pelas investigações, durante as ações policiais, mais de uma tonelada de produtos falsificados, principalmente de vestuário, foram apreendidos. Além disso, dez veículos, incluindo uma motocicleta adulterada, foram confiscados. Durante as buscas, também foram encontradas 175 unidades de drogas sintéticas (LSD) e munição de fuzil.

As investigações constataram que “Lucas Picolé” e “Mano Queixo” também estavam envolvidos na negociação de armas de fogo e munições, além do tráfico de drogas sintéticas.

Suspeitas de fraude na venda de rifas online

Os influenciadores estão sendo investigados por suspeita de fraude na venda de rifas pela internet em Manaus. Durante a “Operação Dracma”, eles foram presos juntamente com Isabelly Aurora, outra influencer que foi libertada em outubro deste ano.

Em determinado momento, a Justiça anulou a prisão domiciliar de Isabelly Aurora Simplício Souza e a prisão preventiva de “Lucas Picolé”. Isabelly Aurora e seu ex-marido, Paulo Victor Monteiro Bastos, juntamente com João Lucas da Silva Alves, foram presos durante a segunda fase da Operação Dracma, realizada pela Polícia Civil do Amazonas em virtude de investigações sobre fraudes na venda de rifas pela internet.

“Lucas Picolé” já havia sido preso antes, juntamente com “Mano Queixo”, na primeira fase da operação. A polícia também investigou a ex-servidora municipal Flávia Ketlen Matos da Silva envolvida no esquema de rifas ilegais na internet.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/12/19/justica-do-am-condena-lucas-picole-por-trafico-de-drogas-e-absolve-mano-queixo-do-crime.ghtml